quarta-feira, 12 de junho de 2013

Homenagem aos Eternos Enamorados

Amor se Faz na Cozinha

Depois das refeições, Vitalina recolhia-se à cozinha. Lavava a louça, enxugava os pratos, arrumava os talheres na gaveta, sacudia a toalha de mesa e pendurava o pano de prato no varal do quintal. Depois, servia-se de um cálice de vinho do Porto, acendia um cigarro, sentava-se à velha mesa e ligava o rádio.
As notas de Moon Light Serenade aninhavam-se no bolso de seu avental que não era sujo de ovo, mas guardava estrelas. Sílvio Caldas, talvez por ciúmes de Duke Ellington ou por não resistir a um regaço moreno, aveludava ainda mais a voz e cantava só para ela. Vitalina gostava desses galanteios.
Cresci dentro de uma cozinha que cantava e recitava trechos de antigas novelas. Por premonição estética ou por vergonha de não saber ler, Vitalina tinha na cozinha (para ser usado no futuro) um grosso volume de poesias de Cruz e Souza. Não sabia decifrar as letras, mas aprendera a gostar do moço que morava dentro do livro . Ah, o livro. Um livro que aprendeu a falar à medida que na escola eu conhecia as letras. E, quando cheguei ao Z e ao domínio dos verbos, dos pronomes, das conjunções, dos hiatos e dos objetos diretos e indiretos, o moço do livro soltou a fala. Disse que era um poeta. Vitalina gostou tanto de suas palavras, que lhe pediu para trazer os amigos "para uma prosinha". O moço não se fez de rogado e trouxe um animado bando que, num piscar de olhos, transformou a velha cozinha num recanto boêmio.


Todos os dias, enquanto Vitalina refogava o feijão ou assava um bolo, lá se reuniam Neruda, Eluard, Camões, Castro Alves, Gregório de Matos, Rimbaud, Allen Ginsberg, Baudelaire, Elisabeth Bishop, Pound, Augusto dos Anjos, Dorothy Parker, Lorca... para beber licor de jenipapo ao som da Rádio Nacional e das histórias que Vitalina tão bem narrava.
O endereço da boemia espalhou-se, e vieram os pintores. Picasso ficou maluco com os potes de barro que Vitalina ganhara de Mestre Vitalino. Dali levou Gala. Goya chegou desacompanhado. Degas apareceu com umas bailarinas. Vieram muitos, aos bandos.
Os atores chegaram por último (trabalhavam até tarde), acompanhados por amigos cantores. Maria Callas chegou com Theda Bara, uma chegada triunfal; Callas nas vestes de Medéia, e Theda nas de Cleópatra. Procópio Ferreira surgiu com um querubim baixinho chamado Grande Otelo; Cacilda Becker com Pixinguinha e Donga; Fernanda Montenegro com uma nereida chamada Chiquinha Gonzaga. E foram tantos que lá foram, que eu poderia jurar que Eurípedes e Shakespeare também por lá apareceram.
Aos domingos, as mulheres da minha família se reuniam, e Vitalina narrava as artes da boemia. Ninguém se espantava. Afinal, eram bruxas, e se bruxas podiam voar em vassouras por que seria impossível poetas saírem dos livros, pintores surgirem das telas, atores representarem à mesa e cantores fugirem dos discos? Não, as "artes" não eram nada improváveis.
Os anos se passaram e a boemia cresceu. Vieram os vizinhos e em pouco tempo o bairro inteiro. Vitalina cozinhava e o improvável acontecia. Os noivos se casavam, os feios embelezavam, os malvados adocicavam, e os velhos rejuvenesciam.Um dia, Deus, que já estava cansado - e com ciúmes - de ouvir as histórias da tal boemia, não resistiu ao cheirinho do bolo que Vitalina assava e a chamou para viver com Ele.
Vitalina aceitou o convite e fez de Deus sua última conquista. Dizem que ela foi a primeira a conquistá-Lo pela boca.

Obs: se você gostou de Vitalina, sua cozinha, seus amores, seus feitiços e seu "caso" divino , ela está inteirinha no meu livro "Amor se Faz na Cozinha", publicado pela Editora Bertrand.
Tenho esse, e outros livros de Márcia Frazão...ela é fantástica!!!

Feliz dia de se enamorar à todos bruxinhos e bruxinhas que por aqui passarem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!

Que alegria ter você aqui...entre...entre...se acomode aqui ao meu lado...vamos tomar uma xícara de chá? ou café, se preferir...estou feliz que tenha vindo! Você e sua Alma encantadora!

Sinta-se em casa...e, sempre que quiser...

APAREÇA!

Sua presença ilumina meu dia.

Volte sempre!!

.

"Quando as panelas da cozinha forem tão sagradas, quanto os vasos dos altares, o Sagrado estará na Terra." santa Tereza D'Ávila (1515-1582)



"É um péssimo cozinheiro aquele que não pode lamber os próprios dedos."
- William Shakespeare
-

Peregrinos: BEM VINDOS!

English French German Spain Italian Dutch Russian Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Receita da bruxinha

Mau Humor faz mal a saúde! Dá cegueira no coração, cria verruga no nariz, deixa a gente todo verde, a língua engrossa e fica azul, as orelhas ficam pequeninas carregadas de pontinhos amarelos e roxos, os olhos ficam tortos e esbugalhados, os cabelos arrepiam prá cima, prá baixo, pro lado, a perna fica manca...e o pior disso tudo...encurta a vida.... Por isso, se quiser viver mais, aqui um conselho: AME MUITO – SORRIA - VIVA E FAÇA FELIZ!!! :D http://files.4s-brux1nh4s-s3nsu4is.webnode.com.br/200000001-897e98a7a5/halloweendiva.gif

Gotas encantadas

Receitas (52) Reflexão (22) energia (21) proteção (18) qualidade de vida (18) Alimentos saudáveis (17) Ritual (17) cura (16) ervas (15) emoções (14) Celebração (13) equilíbrio (13) chá (12) Oração (11) alegria (11) Família (10) casa (10) alquimia (9) limpeza (9) Comer (8) equilibrio (8) receita (8) sentidos (8) Cozinha (7) Paz (7) Simpatia (7) Compartilhar (6) Cultura (6) comida (6) homens (6) Alecrim (5) Pimenta (5) limpeza. (5) Chá de alcaçuz (4) Familia (4) Magia (4) canela (4) prosperidade (4) respiração (4) Amor (3) Bruxas (3) Natal (3) Pesquisa Científica (3) Saude (3) Saúde (3) Solidariedade (3) aromas (3) café (3) cores (3) cristais (3) jardim (3) longevidade (3) sabores (3) Ano Novo (2) Bebida (2) Brindar (2) Celtas (2) Festa Junina (2) Fogão (2) Lua (2) Mitos (2) Mulheres (2) Pés (2) Reciclar (2) Sociedade (2) Suco (2) Vovó (2) anjos (2) banho (2) chocolate quente (2) cravo (2) erotismo (2) gatos (2) gratidão (2) louro (2) pedras (2) viver (2) água (2) árvore (2) Arcanjo Gabriel (1) Avenca (1) Esponja (1) Fígado (1) Halloween (1) História (1) Imbolc (1) Mandala (1) Ostara (1) Plantas (1) Páscoa (1) Pão (1) Solstício (1) Sopa (1) São Francisco de Assis (1) São João (1) Voluntário (1) bicarbonato de sódio (1) bolacha (1) chimarrão (1) colheita (1) deusa Afrodite (1) deusa Bright (1) feminino (1) gengibre (1) hortelã (1) inveja (1) limão (1) maturação (1) mãe (1) nos moscada (1) reis magos (1) sagrado (1) sal grosso (1) sentimentos (1) sons (1) temperos (1) timo (1) ventos (1) xarope (1)

Créditos e Autoria

Os textos aqui postados são pesquisados em livros e na internet. Alguns desconheço sua autoria, muito embora, busco incessantemente descobrir. Nossa intenção em postá-los nesse espaço é compartilhar e espalhar conhecimento. Acreditamos que essa é a vontade de nossos ancestrais. Afinal, de que adianta um livro guardado em nossa estante? É envolta nessa aura de desejo em repassar, distribuir, informar, que ousamos acarinhar os corações que aqui chegarem. Deixamos nossa eterna gratidão à todos os seres Maravilhosos, que nos legaram com tantas pérolas. E através desse legado, nos permitem espalhá-las como flores ao vento... Que todos sejam triplamente abençoados!!! Com Amor, Madre Del'Alma Namastê!

Alimente meus amores